O Agente de Pastoral da Saúde

Perfil do Agente: 
Ter bom relacionamento com as pessoas.
Ter espírito cooperativo e estar aberto ao trabalho em grupo.
Participar na vida da paróquia e/ou comunidade.
Ter valores evangélicos e cultivar a própria espiritualidade.
Ser bom ouvinte e acolhedor.
Procurar sua auto formação participando dos cursos, encontros, estudos e trabalhos de agentes da Pastoral da Saúde e também   desenvolver o hábito da leitura (obras de auto ajuda, fitoterapia, assuntos de saúde, políticas públicas, legislação do SUS, etc.).
Demonstrar responsabilidade e posturas adequadas.
Ter sensibilidade samaritana frente ao sofrimento e a enfermidade.
Entender que é necessária a integração com os demais setores de pastoral, movimentos e entidades que defendem a vida.
Estar aberto ao diálogo ecumênico.
Despertar o senso ético e crítico em si e nas pessoas, avaliando os acontecimentos e não deixar-se levar pela influência dos outros.
Saber que participará de um trabalho voluntário.
 




Atribuições do Agente:
Conscientizar sobre a importância da vida e da dignidade da pessoa humana.
Contribuir para a promoção, prevenção e recuperação da saúde através de ações simples e práticas.
Agir sempre em defesa e/ou recuperação do meio ambiente.
Contribuir na conscientização e prática de hábitos alimentares saudáveis.
Ajudar a comunidade na organização da luta pelos direito em relação à saúde, integrada a outros movimentos, setores de pastoral e entidades.
Redescobrir e valorizar o conhecimento, a sabedoria, a mística e a religiosidade populares  em relação à saúde (estudo de plantas, chás, xaropes, pomadas, cremes, cataplasmas dicas de alimentação, orações, bênçãos, etc).
Participar de atos públicos, reuniões da câmara, dos conselhos, fóruns e conferências de saúde, principalmente no âmbito local e municipal, tendo a convicção de que saúde é direito de todos, conquistada através da participação popular.
Inteirar-se das Políticas Públicas, principalmente na área da saúde, para maior participação da comunidade no controle social.
Ser presença samaritana junto aos doentes e sofredores em instituições de saúde e nas comunidades.
Manter sigilo sobre qualquer fato que tenha conhecimento durante seu trabalho.
Estar em constante formação para desempenhar melhor suas atividades, respondendo ao chamado de Deus e aos apelos da comunidade.
Cultivar e viver sua espiritualidade, seguindo os ensinamentos de Jesus Cristo e fazendo do seu trabalho, um caminho para a celebração autêntica e plena da fé,

MAIS NOTÍCIAS